É amanhã!

31 octobre 2014

É amanhã!

É amanhã mas já vou a caminho.
São todos bem vindos!

Aperto

29 octobre 2014

Demolir para reconstruir
Paredes de taipa, #mosaicohidráulico
One

Vi a casa de taipa a ser demolida e senti um aperto no coração.
Uma casa dentro da aldeia, feita de terra crua. Uma casa com uma construção tão antiga que em poucas horas foi reduzida a pó.
Demolir para reconstruir? Mas porquê?
No mesmo dia, levantaram o chão da casa com uma picareta. Com a escavadora, os mosaicos hidráulicos foram-se, juntamente com o entulho para dentro dum reboque.
Não sabia salvar as paredes de taipa mas podia salvar aqueles mosaicos, bradando os olhares de quem estavam na obra.
Os contentores do lixo encheram-se de coisas e arrependo-me de não os terem deitados no chão para vasculhar o passado da casa. Passado esse que anda agora por outras casas.

image
image
image

Prometi um post sobre os tecidos da Dona Luisinha. Como são muitos, decidi-me pelas flanelas.
Para facilitar a escolha, segue em anexo, uma amostra dos padrões e informações adicionais.
Lire la suite »

Fora do Tempo

23 octobre 2014

Fora do tempo
Envelopes de luto #mosaicohidráulico
O serviço de café da SP Coimbra que já não está completo mas continua tão contemporâneo
Chita da tabela
Um conjunto incompleto da célebre marca Stephens, da Marinha Grande. Made in Portugal
Os pratos (12 de cada) da série "Cavalinho" da extinta Fábrica de Loiça de Sacavém

Volta e meia volto lá. A mercearia está oficialmente fechada mas a Dona Luisinha aí permanece porque trabalhou toda a vida naquele lugar. A casa, tão bonita, está virada para o adro da igreja.
Entro para cumprimentá-la, para quebrar o silêncio a que a casa se obrigou, para ouvir o queixume que a vida actual lhe proporciona. Não me canso de a ouvir.
Entro e tropeço nas coisas que ela vai tentando vender mesmo com rifas e não deixo de pensar como aquela casa está tão isolada do resto de Portugal e que tanta gente gostaria de conhecer.

Passam-me pelas mãos coisas tão bonitas mas fora do tempo.
Será que os envelopes de luto poderiam ganhar nova vida?
E o serviço de café da SP Coimbra (Sociedade de Porcelanas, de Coimbra) que já não está completo mas continua tão contemporâneo?
E a chita da tabela, de 60 cm de largura?
E o conjunto incompleto da célebre marca Stephens, da Marinha Grande?
E os pratos (sopa, raso, sobremesa – 12 de cada) da série « Cavalinho » da extinta Fábrica de Loiça de Sacavém?

Entro para cumprimentá-la e acabo por a ajudar a limpar as estantes, porque um dia a casa será vendida!

Se me quiserem ajudar a limpar as estantes, agradeço e a Dona Luisinha também !!!

Cartaz

Há anos que uso as redes sociais para melhor divulgar o que faço no meu blog. Usei (e ainda uso) o Flickr. Mais tarde, várias aplicações no telemóvel revolucionaram o meu comportamento no dia a dia. Mais leve, fácil de transportar, não havia mais desculpas para registar os momentos mais anódinos. Fiz do Instagram uma segunda casa.
Despreocupadamente, fui fotografando o instantâneo do meu quotidiano, abusando sempre dos filtros que a aplicação oferece.
O convite para uma exposição foi surpresa. Sobretudo no dia em que vi as minhas próprias fotografias impressas no papel.

Acompanham-me nesta aventura a Fernanda Neves, a Luísa Cortesão e a Rita Cordeiro.

JuJu

17 octobre 2014

JuJu
JuJu
JuJu

Depois de ter feito este e este para as irmãs, o último estojo bordado em ponto cruz é para a benjamim da casa. Tem animais e mais bichos, e até uma mosca no verso do estojo.
Julieta do seu nome, JuJu para os amigos.
Faz hoje, 13 anos!

As meias do meu Outono

2 octobre 2014

As meias do meu Outono
As meias do meu Outono
As meias do meu Outono

Comecei as meias durante as férias de Verão, quando as temperaturas estavam mais baixas para a época. Sonhava então com pés quentinhos.
Num bloco de apontamentos, esquematizei um padrão de fácil realização. Dividi o novelo de 100gr. e tricotei alternando as cores.
Vão ser as meias do meu Outono!

Suivre

Recevez les nouvelles publications par mail.

Rejoignez 1 006 autres abonnés